sábado, 28 de abril de 2007

Capítulo X

O táxi amarelo afastava-se, pronto para mais um serviço e com o “cofre” agora mais recheado. Por sua vez, Marta entrara já no seu prédio e dirigia-se, completamente absorta em pensamentos, ao seu apartamento. Quando estava mesmo a ponto de embrechar a chave na fechadura, algo a despertou dos seus pensamentos..., era o ladrar de um “Leão Chinês”, um Shi-Tsu!
“Mas que raio está a fazer o cão em minha casa? Ou...É pá, não acredito, estou no andar errado!” pensou Marta.
Dirigiu-se às escadas de serviço, a luz acendeu-se com o movimento da porta e Marta subiu até ao seu piso, imediatamente acima, sempre a tilintar o porta-chaves, munido com um pequeno boneco ‘Smurf’, ou ‘estrunfe’, do qual obteria uma mini chave de fendas se lhe desapertasse a cabeça. Enfim, até à data apenas lhe servira como porta-chaves.
Ao entrar em casa, Becas foi o único a cumprimentar Marta. Era o seu recepcionista particular, acolhia-a sempre com carinho, esperando também merecidos miminhos. Fechou a porta atrás de si e trancou-a.
Pousou um dossier no sofá e sentou-se.
“Becas, becas” Chamou. “Vem cá, vem ter com a Martinha...ou melhor, com a Agente Marta! Ehehe” Marta riu, mas ao mesmo tempo sentiu um arrepio subir-lhe corpo acima...
“Porque confiará a Judiciária assim em mim? Terei mesmo as capacidades que Pedro mencionou? E este, onde se meteu? Por que é que me deixou sozinha com a ‘Judite’? Bem, mas basta de emoções por hoje, se posso realmente ajudar alguém, devo fazê-lo concentrada, e neste momento estou tudo, menos isso.”
Já descalça, com os seus pés pequeninos a percorrer o flutuante do apartamento, dirigiu-se à aparelhagem e procurou por entre alguns cd’s que tinha espalhados na estante, um que lhe agradasse.
“phfff, tanta música e tão pouco vontade de escolher...” Ligou a aparelhagem e colocou em “Tuner”. A estação sintonizada era a mesma que tinha por hábito no seu Mazda 3. A opção acabou por ser boa, pois a música que passava, Mary J Blige and U2 - One, era-lhe ideal para relaxar.
Voltou a recostar-se no sofá, esticou as pernas no seu ‘chaise long’. Tentou abstrair-se. Não queria pensar mais no possível ‘serial-killer’ ou nos vários assassinos que andavam por aí à solta e que já tinham vitimado 3 pessoas. Caber-lhe-ia a ela, filtrar e procurar pistas de todas as informações recolhidas pela Judiciária. “Apenas terá de analisar estes documentos D. Marta. Ninguém saberá do seu envolvimento na procura deste marginal e estará tão segura como sempre” Dissera-lhe um dos inspectores da Judiciária.

Já quase a dormir, uma música chamou-a à atenção:
‘Chasing Cars’, dos Snow Patrol
Ao ouvi-la relembrou-se dos dois ‘pombinhos’ da rádio...
“Como estarão eles? Será que ele já voltou a ‘declarar-se’?
Foi então que um trecho da música lhe baralhou o pensamento...
“If i just lay here, would you lie with me and just forget the world?” Pensou Marta…”Mas porquê ‘Lay’? Isto pode ter o significado de - armar (uma cilada) e ‘would you lie with me - mentirias comigo’? Será que não era apenas uma dedicatória? Será que estava a tentar dizer-lhe mais qualquer coisa?”
Marta quase tem um ataque cardíaco, quando sem aviso prévio a campainha toca.
“Fonhasse...” pensa ela, com o seu termo que utilizava para substituir o real palavrão. Ao olhar pelo ‘peep hole’ da porta, vê Mário, o seu colega de trabalho. Mário, era o ‘Real tesoureiro’ ou o ‘pirata do tesouro’ como Marta gostava de o apelidar. Era um rapaz novo, na casa dos 27 anos, de estatura média, talvez 1m75, olhos castanhos e cabelo preto. Era muito profissional no trabalho que fazia e ao mesmo tempo sempre bem humorado, gostando de se meter com toda a gente. No entanto, agora ali a olhar para ele, Marta achara algo de estranho…
“Que ‘diabo’ estará ele aqui a fazer? Como sabe onde eu moro? E que cara de assombro? Ai, ai, não estou a gostar...” Pensou.
Com naturalidade abriu-lhe a porta, mas não teve qualquer oportunidade de falar. Mário invadiu-a com um discurso tão sobrecarregado e sobreposto de palavras que Marta nada percebeu.
“Calma Mário, calma! Entra! Afinal o que se passa?”
“Marta..., acho que me seguiram até casa...mas saí pelas traseiras...Foi do dossier! Só pode! E as transferências! Eram muito estranhas Marta...

18 comentários:

Phantom disse...

Ora aqui está mais um Capítulo. Desculpem-me a demora, mas estes dois últimos dias têm sido a "rebentar pelas costuras".
Acabei agorinha o X capítulo. Resolvi trazer de novo a Marta. Uma Marta, com novas "tarefas". Dei-lhe um novo 'amigo', ou não...
Espero que gostem :o)
Laudinha, boa sorte.

astuto disse...

Muito bem Phantom!! Era a hora de voltar à Marta, agora apostada em ajudar a PJ, uma verdadeira "agente". No fim, aparece o Mário, colega de trabalho, de quem foge ele? O que têm o dossiê e as transferências? Não percam o próximo capítulo que eu também não!

Cumprimentos!

Eduardo Ramos disse...

Porra!
Agora é que foi!
Transferências estranhas num dossiers que Marta ,"a pessoa de confiança", não conhece!
Boa!
Será que são realmente estranhas? Marta já não sabias delas, só como eram confidenciais Mário estava no escuro? Mário será o "sidekick" ideal para ela a partir deste momento? Tem perfil para isso. Pode vir a dar um pouco de humor o ambiente.
Ele terá mesmo sido seguído até casa? Não seria só vizinho que vive no mesmo piso?

O senhor "fantasma" abrandou o clima. Já estava a precisar. Mas coitada da Marta. Não tem descanso.

Muito bem phantom.
Muito bom trabalho!

Miss Alcor disse...

Gostei Phantom! Muito mesmo.
Acho que abriste novas possibilidades, e já estavamos a precisar de um capítulo mais calmo, embora houvesse ums crescendo de suspense no final!
Gostei mesmo!
Eheheheh! Boa sorte para o próximo! Eu não queria estar nesse lugar! ;)

Phantom disse...

Sim, é verdade, Marta não tem mesmo descanço.
Achei por bem trazer Marta de volta, mas não queria dar-lhe nenhuma "missão" já de imediato. Resolvi abordar o tema dos "pombinho", visto que ela ainda não sabe o que aconteceu a Clara e baralhar o pensamento dela em relação às mensagens de César.
Quanto a Mário, o "Real tesoureiro"...talvez possa vir a ser uma ajuda, ou então não...

Phantom disse...

Obrigado Miss Alcor :o)

Touro Zentado disse...

Viva!
Estou de volta ao blog...
Gostei do teu capítulo Phantom.
Entraste numa onda mais descritiva, mais calma. É assim mesmo! No entanto deste um abanão no final para o pessoal não se desabituar... Hehehe!
Também gostei da música, é excelente! Melhor mesmo só a versão original.

Vamos ver se a Marta esclarece o pobre do tesoureiro...
Vamos ver se o rapaz não queria só meter conversar...

Laudinha, agora toca-te a ti!

Entretanto temos mais duas pessoas inscritas no blog e que deverão propôr-se para escrever... O Jaleco e o Rui. Cheguem-se à frente meus senhores.

Laudinha disse...

Olá... eu já tenho o capitulo alinhavado. Faltam uns retoques aqui e ali. Fiquei doente e tou com febre por isso so lá pra amanha é que estará ou depois. Tem de ser bem feito e eu de momento nao estou com cabeça só me apetece estar deitada :( e lá vou para a bed

Pratas disse...

Excelente capítulo. Adorei mesmo. Calmo mas com muita informação nova.

Tiveste muito bem Phantom!

Boa sorte Laudinha! Não tenhas pressa pois ela é inimiga da perfeição. E as melhoras.

Miss Alcor disse...

Laudinha, as melhoras!
Nós esperamos! Não há pressas! ;)

Eduardo Ramos disse...

Isso não é febre Laudinha! É o conto que esta muito quente! ;)

Põe-te boa!

Phantom disse...

Obrigado 'touro' e pratas. Ainda bem que gostaram.
Laudinha, não te preocupes com o conto. Primeiro está a tua saúde. Quando estiveres melhor vais ver que até fluem melhor as ideias.
As minhas sinceras melhoras e boa sorte para o Cap.XI.

Daniella disse...

Sr. Touro, peço desculpa por vir aqui “incomodar”… Disseram-me que o Sr. é o administrador deste fabuloso espaço, que eu tenho visto a crescer e do qual gosto muito… Sabe, tenho um “Thinking Blogger Award” para entregar e acho que este sitio é o ideal. “Pensadores” (e bons) é o que mais há aqui…

Desculpe a intromissão… : )

Boas postagens para todos…

Papagaio da Suica disse...

A convite visitei li tudo adorei,
posso adivinhar que o locutor da radio vai ser inculpado pelo crime.

so para opinar..

do frio com carinho.

M.O

ps:bom trabalho de equipe.

Nelson Favas disse...

:)

Corduroy disse...

Boa Phantom. Um capitulo mais relaxado como se competia neste momento. Gostei...

tonsdeazul disse...

Finalmente consegui voltar até vós!
Este novo capítulo vem suavizar um pouco a intensidade do suspense. Uma boa oportunidade para subir um pouco mais acima e ver se ainda consigo ler tudo hoje. :)

Miguel Ferreira disse...

Espero que não me interpretem mal mas penso que há um erro de tradução neste capitulo...

“If i just lay here, would you lie with me and just forget the world?” Pensou Marta…”Mas porquê ‘Lay’? Isto pode ter o significado de - armar (uma cilada) e ‘would you lie with me - mentirias comigo’?

A tradução do refrão levando em conta o resto da musica é algo como "Se ficar aqui, Se apenas ficar por aqui, Ficarás comigo e esquecerás o mundo?"

Fica a opinião,
Cumprimentos a todos